Desenvolvimento de Software à Medida
© Vectorjuice

O Desenvolvimento de Software à Medida e as suas 6 Ratoeiras

Luís Filipe

Luís Filipe

Managing Partner YouX

O desenvolvimento de software à medida

Na evolução das empresas e organizações, chega sempre o dia em que os softwares generalistas existentes no mercado se revelam inadequados ou, noutros casos, demasiadamente complexos e dispendiosos para as necessidades.

É nessa altura que se começa a falar no desenvolvimento de software à medida. À medida porque se pretende que venha responder às necessidades específicas de uma empresa ou organização e, em particular, dos utilizadores que com ela irão interagir.

A maioria dos projetos falha

Este processo de desenvolvimento comporta vários riscos. Segundo vários estudos internacionais a esmagadora maioria falha: ou porque fica muito acima do orçamento, ou acumula grandes atrasos e/ou não corresponde às expectativas que estiveram na base da sua criação. Neste artigo vamos falar um pouco de algumas das principais ratoeiras do desenvolvimento de software à medida.

Contrariamente ao que é um pensamento muito comum para quem está menos familiarizado com esta área, muitos das razões que estão na base da falha no desenvolvimento de software à media não têm nada a ver com  tecnologia. 

Porque falham os projetos de desenvolvimento de software à medida: 6 ratoeiras

Não investir numa análise do negócio

Uma das principais ratoeiras é não investir numa análise cuidada do negócio antes de passar ao desenvolvimento. Esta é uma fase crucial para levar qualquer projeto a bom porto. Antes de pensarmos em tecnologia é imprescindível que toda a equipa envolvida conheça minimamente o negócio que será objeto da aplicação, a sua envolvente, os seus agentes (utilizadores), ter uma ideia dos projetos similares no mercado, (se existirem) bem como os objetivos para o projeto.  

Falha no levantamento dos requisitos

Uma outra ratoeira é avançar para o desenvolvimento sem identificar claramente quais são os requisitos do projeto. É certo que no final do projeto se podem sempre fazer alterações e acrescentar novas funcionalidades. Porém é garantido que o custo do projeto irá disparar substancialmente, assim como o adiamento dos prazos da sua finalização. Compreender bem as necessidades que se consubstanciam os requisitos, conhecer bem as jornadas dos futuros utilizadores, aclarar os diferentes contextos dos intervenientes no projeto, eliminando ambiguidades de linguagem e, não menos importante, definir claramente o que significa atingir uma meta  no projeto; são elementos essenciais para o sucesso de qualquer projeto de desenvolvimento de software à medida.

Projetos demasiado ambiciosos

“Pensar pequeno” é um factor de sucesso. Não nos referimos a coartar a ambição de fazer mais e melhor, mas antes a uma realidade que segundo vários estudos internacionais salientam: os grandes projectos têm uma enorme probabilidade de serem mal sucedidos. De facto, é muito mais fácil lidar com um objeto de trabalho mais limitado e naturalmente com uma equipa mais pequena o que facilita a gestão do projeto.  Na indústria do software é muitas vezes referida a regra dos 20/80, isto é, 80% do valor dos produtos é resultado de 20% dos recursos. Esta regra traduz a necessidade de nos focarmos nas principais funcionalidade que o utilizador de fato deseja e irá usar. Para além desse aspecto, é importante  resistir à tentação de adicionar funcionalidades ao projeto. Começar com um projeto mais pequeno, terminá-lo, criar novos projetos para acrescentar novas funcionalidades, é o caminho mais seguro.

Falha na comunicação

Num mundo feito de mudança, também os projetos de desenvolvimento de software estão sujeitos a alterações: desde regulamentações legais, alterações de mercado ou mesmo na composição da equipa ligada ao processo. Manter canais de comunicação efetivos entre todos os intervenientes num projeto é um fator crítico de sucesso. 

Descurar a prototipagem

Muitos clientes desconhecem um outro fator decisivo para o sucesso do desenvolvimento de uma aplicação à medida: experimentar antes de avançar. A prototipagem é fundamental e insubstituível para que se passa avançar com segurança para a fase da construção.  Existem várias ferramentas que permitem desenvolver protótipos funcionais e interativos. O uso dos protótipos apresenta imensas vantagens: permitem identificar erros, envolver os vários intervenientes no processo de desenvolvimento, uma melhor compreensão do funcionamento do software  identificar funcionalidades em falta ou que resultem confusas. 

Não ter uma política de testagem

Testar é imperativo. Cada vez mais os sistemas são complexos. Por vezes, uma simples mudança no código de uma área pode afetar o sistema noutras áreas completamente distintas. Fazer testes e ter uma política de desenvolvimento orientada para a testagem sistemática, é a única forma de evitar erros e danos para o seu negócio e para a sua credibilidade.

Está a pensar desenvolver uma aplicação?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
You cannot copy content of this page